Estimativas para inflação pioram

By | 19/01/2016

Brasília. Em semana de decisão do Banco Central sobre o rumo dos juros básicos da economia, o mercado financeiro piorou suas estimativas para a inflação deste e do próximo ano, aumentou a expectativa para o patamar da Selic em 2017 e fez poucas alterações em relação ao desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) de 2016 e do ano que vem. A boa notícia é que, pela primeira vez, passou a contar com um superávit fiscal, ainda que pequeno, para 2017.

Segundo o Relatório de Mercado Focus, confeccionado semanalmente pelo BC com as estimativas de cerca de 120 instituições financeiras, a inflação deste ano não só romperá o teto da meta de 6,50%, como deverá ficar mais alta (7,00%) do que o previsto no levantamento anterior (6,93%). Para 2017, a projeção também subiu, de 5,20% para 5,40%.

Entre os economistas que mais têm acertado as expectativas, denominados Top 5, o IPCA deve ficar ainda mais elevado do que o apontado pelo consenso. Para 2016, esperam uma taxa de 7,54% e, para o ano seguinte, de 5,50%. Outro indicador que surpreendeu nesta segunda-feira, 18, foi o IGP-DI, que tem forte influência dos preços do atacado. A previsão para 2016 disparou de 6,18% para 6,48% – para 2017 foi mantida em 5,30%. Com a inflação em alta, os analistas mantiveram a aposta de que o Copom elevará a taxa básica dos atuais 14,25% ao ano para 14,75% ao ano nesta semana.

Negócios