Especialistas cearenses reduzem pessimismo no cenário econômico

By | 24/02/2015

O Índice de Expectativas dos Especialistas em Economia (IEE) do Ceará revelou uma redução de 8,5% do pessimismo em relação ao cenário econômico. De cinco edições da pesquisa, esta é a primeira a dar sinais de redução das impressões negativas por parte de analistas.

Para o conselheiro do Conselho Regional de Economia (Corecon), Ricardo Eleutério, há um entendimento de que este ano será difícil. No entanto, as mudanças de rumo com medidas impostas pelo Governo Federal sinalizam uma possível reação no próximo ano.

"A nova direção de polítcas econômicas assinalada pelo ministro Joaquim Levy, apesar de ser de aperto fiscal, que no curto prazo tem um efeito amargo, sinaliza que se obtiver sucesso, teríamos, a partir do ano que vem uma recuperação da economia brasileira", comenta.

A atual pesquisa é a que apresenta o maior número de variáveis avaliadas com otimismo pelos especialistas. Geralmente, até três variáveis eram positivas, no entanto, desta vez, foram cinco otimistas e quatro pessimistas. 

Os analistas revelaram pessimismo com quatro variáveis: taxa de juros (86,5 pontos), salários reais (70,9 pontos), taxa de inflação (62,8 pontos) e nível de emprego (58,8 pontos), que alcançou a menor pontuação. Conforme a metodologia, cada uma das variáveis analisadas gera três índices: de percepção presente, futura e de expectativa geral. Considerando a soma das variáveis, o índice geral evoluiu da quarta para a quinta pesquisa de 88,1 pontos para 95,6 pontos, revelando redução no pessimismo dos especialistas do Ceará em 8,5%.  

A pesquisa é realizada pela Fecomércio-CE, em convênio com a Corecon, e ouviu 90 especialistas em economia nesta edição, período de janeiro e fevereiro.

Negócios