Eletrobras contrata escritório para avaliar eventuais irregularidades

By | 10/06/2015
Energia Eletrobras Energia elétrica (Foto: Getty Images)

A Eletrobras informa que contratou o escritório de advocacia internacional Hogan Lovells, especializado em investigação corporativa, para avaliar a eventual existência de irregularidades que violem a lei Foreign Corrupt Practices Act 1977, dos EUA, a lei anticorrupção brasileira (nº 12.846/2013) e o Código de Ética das Empresas Eletrobras, em empreendimentos nos quais as companhias do grupo participam de forma corporativa ou, minoritariamente, por meio de sociedades de propósito específico (SPE).

No mês passado, a estatal afirmou que contrataria uma empresa independente especializada para conduzir investigação externa sobre notícias de que o ex-CEO da Camargo Corrêa teria afirmado na Operação Lava Jato que o consórcio de empresas contratadas para a montagem de Angra 3 teria efetuado pagamentos ao CEO da sua subsidiária Eletronuclear. Além disso, a companhia atribuiu a isso e à substituição do auditor de Jirau o atraso na entrega, à Securities and Exchange Commission (SEC), do relatório anual do Formulário 20-F.

Em 14 de maio, a estatal disse que não era possível indicar uma data específica para o arquivamento DP 20-F, "estando a administração da companhia empenhada em seu arquivamento o mais breve possível".

A estatal informou que os empreendimentos serão selecionados pelo escritório contratado, de acordo com diagnóstico a ser realizado com base em "matriz de risco desenvolvida a partir da relevância dos empreendimentos" para as demonstrações financeiras consolidadas da Eletrobras e sua eventual relação comercial com construtoras citadas no âmbito das investigações da Lava Jato.

A companhia afirma ainda que os trabalhos das comissões internas de investigação, criadas em 16 de março no âmbito do Programa de Compliance e denominadas Comissões Executivas de Correição, estão em pleno andamento.

Revista Época Negócios