Egito ataca aliados do EI após decapitação de cristãos

By | 16/02/2015

O Exército do Egito lançou na madrugada desta segunda-feira (16) um ataque aéreo contra várias posições das milícias leais ao Estado Islâmico (EI) na Líbia, após a divulgação de um vídeo no qual os jihadistas assassinam 21 cristãos coptas.

A chefia das Forças Armadas detalhou que os bombardeios foram "contra quartéis, posições, lugares de concentração e de treinamento, e armazéns de armas" dos jihadistas.

Pelo menos cinco civis, três crianças e duas mulheres morreram no ataque, que teve como alvo a cidade de Derna, a mil quilômetros de Trípoli.

O Exército egípcio anunciou que o ataque cumpriu seus objetivos "com exatidão" e os aviões das Forças Aéreas egípcias "voltaram sãos e salvos para suas bases" no Egito.

Respostas ao terrorismo

As Forças Armadas advertiram que "esta resposta às ações criminosas de organizações terroristas dentro e fora do país é uma vingança ao sangue egípcio".

"É nosso dever e direito e cumpriremos porque os egípcios têm um escudo que protege a segurança nacional e um espada que amputa o terrorismo e o extremismo", alertaram.

O Estado Islâmico divulgou no domingo um vídeo que mostra a execução de 20 coptas egípcios, que foram sequestrados na cidade de Sirte, no norte da Líbia, por extremistas leais ao grupo jihadista.

Após o incidente, o presidente egípcio, Abdel Fattah al Sisi, advertiu que o Egito "se reserva ao direito de responder da maneira e no tempo que considerar adequados" ao assassinato.

O ministro egípcio das Relações Exteriores, Sameh Shukri, viajou no domingo à noite para Nova York para reuniões na ONU e no Conselho de Segurança para exigir uma reação internacional.

Internacional