Egídio Serpa

By | 09/02/2015

Apex Eduardo Caldas, gestor de projetos da Apex, virá ao Ceará nas próximas semanas. Conhecerá, a convite da Abrafrutas, os principais campos de produção de frutas daqui.

O que está ruim vai piorar

De volta à realidade da economia e da política do Ceará, o tema dominante segue sendo a Petrobras e seu rombo de mais de R$ 80 bilhões fruto da ação de corruptos e corruptores de dentro e fora da empresa e a crise da falta de água que pode provocar um apagão no sistema elétrico. Na geografia cearense, indo na direção correta, o governo do Estado põe em prática um plano que prevê a redução da oferta de água, reduzindo-a para o uso econômico a fim de garantir o suprimento da população de humanos e animais, como manda a Lei. Isso terá um custo social, pois a indústria e a agricultura irrigada, com menos água, dispensarão mão de obra. Há, porém, uma ameaça: o ajuste fiscal em execução cortará verba para o Projeto S. Francisco. O que está ruim vai piorar.

Dúvida

Segundo a Adece, o Ceará tem 91 mil hectares de terras irrigados, cuja produção alcançou o valor de R$ 1,3 bilhão. Esta coluna duvida desses números. Com 91 mil hectares irrigados é possível produzir todo o alimento de que precisa a população do Ceará. E isso não acontece.

Petrobras

Analistas do mercado de capitais sugerem a quem tem ações da Petrobras: não as venda agora. A crise pela qual passa a empresa será superada, e logo tudo estará nos eixos. Especula-se muito em momentos assim. Então, trinque os dentes e espere.

A irrigação subterrânea
 
José Quintão, que lidera o Grupo Haisa, com sede na cidade de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza, e com atuação nos setores de fruticultura, construção civil e, ainda, na carcinicultura, manda dizer por e-mail que, em sua fazenda em Acaraú, no litoral Oeste do Ceará, já utiliza o processo de irrigação subterrânea por micro gotejamento. "Com todo sucesso", diz ele, que explica: "O consumo de água, que vem de um poço profundo, é o mínimo e a evaporação, zero". Para Quintão, esse é o sistema que o produtor cearense deveria utilizar nestes tempos de baixa oferta de água. "O sistema opera muito bem e tem custo reduzido", afirma Quintão.

Mobilidade

Adahil Fontenele (foto), ex-secretário da Seinfra e hoje coordenador das obras da Prefeitura de Fortaleza, tem muito o que fazer. E ele quer fazer. A dificuldade será a de sempre: pouco dinheiro para tanta necessidade. A mobilidade urbana, que vai bem na Aldeota, precisa ir bem também nos subúrbios.

Bom

Exportações

Em 2005, o saldo comercial do agronegócio brasileiro foi superavitário em US$ 38,5 bilhões. Em 2014, esse superávit chegou aos US$ 80 bilhões. A China é o principal comprador.

Ruim

Prefeituras

Ontem, no aeroporto de Lisboa, passageiros do voo da TAP para Fortaleza indagavam-se: qual o será o primeiro prefeito a ser preso pela Polícia por desvio de dinheiro público? São 184.

Livre Mercado
Nesta semana, o Brasil entra no ritmo do Carnaval, o que ajudará – espera-se – a reduzir o estresse provocado pela enchente de notícias negativas oriundas das áreas policial, política e econômica. No Ceará, acrescente-se a letargia do novo governo estadual, que ainda, sonolentamente, tenta concluir a tarefa de distribuir os cargos da administração entre os partidos – e são muitos – que lhe dão apoio no parlamento. É grande a expectativa sobre a capacidade do governo e do governador de superar os desafios de mais um ano de seca, de baixa atividade econômica e de redução de receitas. Que isso comece logo.

Negócios