Destinos mais exóticos são as opções de público alto padrão

By | 14/06/2015

Muito mais do que viajar rumo aos clássicos destinos europeus e norte-americanos e se hospedar em hotéis de alto padrão, o turismo de luxo proporciona experiências exóticas para quem pode desfrutar do conforto financeiro e cresceu dois dígitos no ano passado, segundo um levantamento realizado pela International Luxury Travel Market (ILTM). Mesmo com esse desempenho e com potencial para cativar mais viajantes e explorar mais lugares, o segmento tem de fazer algumas adaptações para não sentir os efeitos, ainda que sutis, do momento econômico delicado enfrentado pelo Brasil atualmente.

> Dólar beneficia setor de joias

> Diária de hotel em Jeri chega a custar R$ 1mil/dia

> Alheio à crise, mercado de luxo ostenta expansão no CE

> Vendas de concessionárias premium cresceram até 30%

> Aplicações que rendem juros são mais lucrativas

De acordo com Tomas Perez, presidente da Teresa Perez Tours, agência paulista com mais de 20 anos de experiência em roteiros personalizados, é tipicamente o mercado que atende a classe média que passa por maiores dificuldades nessa crise, porém, os clientes de luxo sentem, sim, esse impacto, uma vez que demonstram estar mais conscientes dos preços.

Escolha do destino

"Porém, eu não acredito que isso impedirá as pessoas de viajar, mas sim impactará na escolha do destino, com um crescimento maior da Europa, Ásia e América do Sul", argumenta.

Outro reflexo desse momento, acrescenta Perez, é uma exigência maior em quesitos como a qualidade dos hoteis e a classe escolhida para os voos. "De fato, em tempos de desafios econômicos na Europa e os EUA em 2009, vimos uma importância ainda maior colocada em viagens dentro do setor de alto padrão", comenta.

Nova estratégia

Já o diretor da cearense Tour du Monde, Paulo Cavalcante, também especializada em roteiros de luxo, teve de adotar estratégias diferentes para atravessar este momento, modificando um pouco os roteiros e a abordagem feita com os clientes.

"A gente tem procurado oferecer destinos mais próximos e que a viagem tenha menos tempo de duração, e modificamos também a maneira de apresentar os roteiros para os clientes, com uma cara nova e mais cuidadosa", detalha.

Devido à instabilidade econômica pela qual passa diversos setores produtivos do País, comenta Cavalcante, alguns clientes optam por diversificar as fontes de investimentos e acabam adiando algumas viagens.

Apesar dessas intempéries, ele é otimista em relação ao potencial de crescimento desse mercado, no Ceará, nos próximos anos. "Vai depender muito da situação do País, mas tem, sim, potencial para crescer, principalmente porque o mercado de Fortaleza é muito bom", garante o diretor da agência.

Experiências exóticas

Os destinos buscados por quem banca uma viagem considerada luxuosa, segundo o presidente da Teresa Tours, não se limitam aos tradicionais destinos como Miami, Nova York, ou mesmo Londres ou Paris.

"Ele quer descobrir algo novo e que o surpreenda positivamente, com experiências que incluam cultura, arte e gastronomia. Ele busca as experiências mais ‘locais’ possíveis também na África, Ásia, Oceania, Oriente Médio e América do Sul", lista Tomas Perez.

Em alguns casos, acrescenta Paulo Cavalcante, o luxo não se traduz no padrão da hospedagens ou dos pratos degustados em restaurantes selecionados, mas simplesmente na oportunidade de conhecer roteiros aos quais muitas pessoas não têm acesso. "Temos clientes que fazem o roteiro Europa de luxo, mas os destinos mais procurados têm sido Azerbaijão, Vietnam, Camboja, Tailândia, Emirados Árabes, safáris no rio Zambeze", detalha o diretor da Tour du Monde.

Negócios