“Delação não é prova”, diz Fachin a jornal

By | 14/06/2015
Luiz Edson Fachin (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Indicado ao Supremo Tribunal Federal pela presidente Dilma Rousseff e aprovado pelo Senado, o jurista Luiz Edson Fachin afirmou, em conversa com jornalistas no Paraná, que "delação não é prova, é indício". Segundo reportagem do jornal Gazeta do Povo, Fachin disse que é um grande desafio manter a presunção de inocência dos acusados. "É preciso ir além da aparência para encontrar a essência", comentou o professor.

saiba mais

  • Luiz Edson Fachin é nomeado ministro do STF

Falando em tese, ressaltando que ainda não é um membro da corte, Fachin disse que "juiz não pode tomar o lugar do legislador". Para Fachin, o protagonismo do Judiciário é consequência do crescimento do acesso a direitos, intensificado pela Constituição de 1988.

Fachin contou que, antes de ser aprovado pelo Senado, visitou todos os 81 gabinetes da Casa e conversou com 78 senadores. Ele toma posse na terça-feira (16/06), mas vai continuar lecionando na Universidade Federal do Paraná como convidado no programa de pós-graduação.

Revista Época Negócios