Debate de pré-candidatos republicanos tem disputa entre Trump e Cruz

By | 15/01/2016

Uma disputa entre o empresário Donald Trump e o senador Ted Cruz (representante do Texas) foi um destaque no sexto debate entre os pré-candidatos do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos. Os dois nomes mais bem colocados nas pesquisas trocaram farpas, com Trump questionando a legalidade do nome de Cruz para a corrida da Casa Branca e o rival questionando o nível de conservadorismo do empresário.

Os republicanos começam a decidir quem será o nome oposicionista na disputa presidencial norte-americana em 1º de fevereiro, em uma votação em Iowa.

A disputa entre Cruz e Trump rompeu definitivamente uma frágil trégua da dupla. Trump disse que Cruz poderia levar o partido a uma disputa legal com os democratas, porque nasceu fora dos EUA. "Você não pode fazer isso com o partido", disse o empresário.

Advogado constitucionalista, Cruz disse que a lei deixava claro que ele podia concorrer, por ter mãe norte-americana e ser cidadão dos EUA. Ele lembrou que seu rival não tinha nenhum problema com seu nascimento no Canadá antes. "A Constituição não mudou", disse ele. "Mas os números nas pesquisas mudaram", notou Cruz, apontando que o apoio a Trump em Iowa tem recuado.

Em outro momento, Cruz disse que Trump representava os chamados "valores de Nova York", levantando dúvidas sobre as credenciais conservadoras do empresário. "Eu acho que a maioria das pessoas sabe exatamente quais são os valores de Nova York", disse ele, afirmando que esses valores eram "socialmente liberais". Trump respondeu com um elogio à resistência dos nova-iorquinos diante dos ataques terroristas do 11 de Setembro.

Outros pré-candidatos também discutiram. O governador de Nova Jersey, Chris Christie, e o senador pela Flórida Marco Rubio discutiram após Rubio tentar retratar Christie como um liberal. Rubio criticou o colega por sua postura em relação ao controle da posse de armas, por doações anteriores à entidade Planned Parenthood e por seu apoio a certos modelos educacionais. "Nosso próximo presidente e nosso próximo candidato republicano não pode ser alguém que apoia essas posições", afirmou. Christie contra-atacou, lembrando que em um debate anterior Rubio acusou Jeb Bush de criticá-lo apenas porque alguém havia sugerido que isso seria politicamente vantajoso para ele.

O governador da Flórida, Jeb Bush, manteve a mensagem de que será capaz de criar empregos e de que é um nome que pode de fato ser eleito, diferentemente de outros rivais. Trump chegou a receber algumas vaias, após sugerir que Bush era "fraco".

Trump e Bush também discutiram em relação à proposta do empresário para proibir temporariamente a entrada de muçulmanos, como medida antiterrorismo. Questionado sobre se teria repensado essa questão, Trump respondeu: "Não. Nós temos de parar com a correção política."

Bush argumentou que essa política enviaria ao mundo uma mensagem contrária aos muçulmanos, que minaria os esforços dos EUA para construir alianças no mundo árabe. 

O debate teve também momentos de críticas ao Partido Democrata, do presidente Barack Obama. Cruz, por exemplo, atacou a política externa dos EUA, enquanto Christie afirmou que Obama apresentou um quadro edulcorado da economia norte-americana em seu discurso sobre o Estado da União nesta semana. Christie afirmou que um mandato para a democrata Hillary Clinton representaria um terceiro mandato sob a liderança de Obama nos EUA, enquanto Rubio disse que Hillary era "desqualificada" para o trabalho. Fonte: Dow Jones Newswires.

Internacional