Cardozo deve explicar encontros com advogados, decide Comissão de Ética

By | 26/02/2015

A Comissão de Ética da Presidência da República decidiu nesta quarta (25) pedir informações ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre os encontros que ele teve neste mês com advogados de empreiteiras acusadas na ação gerada pela Operação Lava-Jato.

A decisão da comissão foi uma reação a uma representação feita pela liderança do PPS.

Depois de ouvir as explicações, a comissão pode arquivar o procedimento, se a versão de Cardozo convencer o colegiado, ou abrir um procedimento. No máximo, podem recomendar a demissão de Cardozo.

Cardozo assume ter encontrado dois defensores das empresas. Ela afirma, contudo, que apenas com um deles -da Odebrechet- conversou sobre a operação, após "representação formal" e, mesmo assim, não falou em reviravolta. Com o outro, da UTC, ele diz ter tido uma conversa de 3 minutos, sem citar a Lava-Jato.

O ministro defende a legalidade dos encontros -que foram, no entanto, criticados por oposicionistas.

Já o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa pediu, pelo Twitter, a demissão de Cardozo.

Ultima Hora