Calculadora mostra qual a chance de um robô assumir o seu trabalho

By | 15/06/2015
Trabalho (Foto: Arthur Nobre)

Você provavelmente já ouviu falar sobre o carro que o Google está testando, que dispensa motorista. Há alguns anos, especialistas achavam que dirigir era uma tarefa muito complexa para ser executada por um robô. Parece que não. Mas o que mais as máquinas conseguirão fazer em um futuro próximo e que trabalhos elas ameaçarão? Uma ferramenta lançada pelo site NPR ajuda a responder essa pergunta.

Com base em um estudo realizado em 2013 na Universidade de Oxford por dois pesquisadores, Carl Frey e Michael Osborne, a calculadora mostra qual é a chance de seu cargo ser dominado por robôs. 

Entre os trabalhos mais ameaçados, estão telemarketing e contabilidade. O estudo analisou 702 funções, olhando para características como criatividade e destreza necessária, além de projetar os avanços em automação que devem ocorrer nas próximas décadas.

Os trabalhos mais difíceis para um robô seriam relacionados à assistência social, que teriam 0,3% de chance de serem automatizados, por usarem habilidades como inteligência, negociação e ajuda ao próximo. Frey e Osborne admitem que suas estimativas não são precisas. Mas olhando o caso do telemarketing, por exemplo, eles parecem ter acertado.

O estudo não diz exatamente quando as mudanças acontecerão em cada profissão, apenas sugere que haverá fases diferentes. Os primeiros trabalhos a diminuírem, segundo o site Fast Company, serão de produção, cargos administrativos, transporte e logística. Alguns trabalhos relacionados a vendas, como telemarketing, e construção, também devem passar pela automação mais cedo.

A segunda onda de automação dependerá de quão rápido os robôs aprenderão criatividade e inteligência social — algo que deve demorar. Por enquanto, as pessoas com emprego que demandam mais especialização (e que geralmente ganham mais) estão a salvo. Por isso, Osborne afirma que a desigualdade será, provavelmente, o maior desafio.

Revista Época Negócios