Bélgica prende nona pessoa por suposta relação com ataques de Paris

By | 25/12/2015
Soldado francês patrulha área ao redor da torre Eiffel em Paris, na França, dias após onda de atentados  terroristas promovidos por extremistas do Estado Islâmico (Foto: David Ramos/Getty Images)

As autoridades da Bélgica prenderam uma nona pessoa acusada de participar dos atentados de Paris no dia 13 de novembro, informou nesta quinta-feira (24/12) a procuradoria federal.

Trata-se de Abdoullah C., nascido em 1985 e de nacionalidade belga, que é acusado de praticar assassinatos terroristas e participar das atividades de um grupo terrorista.

A justiça especificou que o preso é suspeito de ter mantido contatos com Hasna Ait Boulahcen, a suicida da operação antiterrorista de Saint-Denis, e seu primo, o suposto cérebro dos atentados, Abdelhamid Abaaoud, morto na mesma operação.

Esses contatos teriam ocorrido entre os dias 13 de novembro, a data dos ataques, e 18 de novembro, quando aconteceu a operação em Saint-Denis.

O suspeito comparecerá ainda hoje à procuradoria, que decidirá o prolongamento eventual de sua detenção. Quem também irá ao tribunal nesta quinta-feira é outro suspeito, Lazez A., detido desde 20 de novembro e acusado de participar de atividades terroristas e praticar assassinatos terroristas.

Segundo declarações de seus advogados recolhidas pelo jornal "Le Soir", a procuradoria suspeita que Lazez A. tenha dado carona a Abdeslam por Bruxelas no dia 14 de novembro ou depois, fato negado pelo acusado.

A polícia encontrou duas armas e sangue em sua caminhonete, mas esses elementos "não têm relação" com a fuga de Abdeslam, segundo os advogados.

A justiça belga revelou mais de cem contatos telefônicos entre um detido, Ali Oulkadi, e os irmãos Brahim, que se suicidou ao ativar um cinto de explosivos no Boulevard Voltaire, e Salah Abdeslam, antes dos atentados.

Oulkadi é o homem que supostamente deu carona a Salah Abdeslam, alvo de um mandado de busca e apreensão internacional por suposta participação nos ataques, do distrito de Laeken a Schaerbeek em 14 de novembro.

Outras duas pessoas estão detidas por envolvimento na transferência do suposto terrorista de Paris a Bruxelas: Hamza Attou, amigo de Abdeslam, e outro conhecido, Mohammed Amri, que na noite dos atentados saíram do distrito bruxelense de Molenbeek para a capital francesa para buscá-lo de carro após receberem o pedido de ajuda de Abdeslam.

Revista Época Negócios