Banco Mundial vai liberar US$ 2,7 mi para o Estado

By | 19/09/2015

O Estado terá, até o fim do próximo semestre, um Conselho Estadual de Gestão de Políticas para a Formação do Capital Humano (Cech), que reunirá entidades públicas e iniciativa privada para planejar ações de forma integrada. A criação do conselho é uma das exigências do Banco Mundial para o desembolso de um empréstimo realizado pela administração estadual.

Conforme explica o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico do Ceará, Cláudio Ferreira Lima, além de órgãos públicos e empresas da iniciativa privada, o conselho também terá participação de instituições de ensino superior. A ideia é que o conselho centralize a elaboração de programas voltados à qualificação profissional no Estado, evitando, por exemplo, que uma mesma iniciativa seja tomada por duas ou mais entidades de forma independente.

De acordo com Lima, o funcionamento do conselho, até junho do próximo ano, faz parte do Programa para Resultados, elaborado pelo governo cearense para que o Banco Mundial autorizasse novos desembolsos do empréstimo junto ao banco mundial, realizado em 2013.

Desembolso

Segundo o secretário adjunto, após o banco constatar o funcionamento do conselho, serão liberados US$ 2,7 milhões ao tesouro estadual. O montante, informa, não está atrelado a nenhum projeto específico, podendo ser utilizado pelo governo da forma como a administração considerar mais adequada.

Além da criação do conselho, o Programa para Resultados traz uma série outras iniciativas que precisarão ser adotadas, nos próximos anos, para que o governo receba novos desembolsos do Banco Mundial. Entre as iniciativas, estão a implantação de laboratórios de informática e ciências como forma de complementar as atividades na sala de aula e a consolidação de uma rede de incubadoras e start-ups.

Monitoramento

Outra medida planejada, que deve ser implementada até 2018, o sistema de monitoramento de egressos das escolas profissionais, como forma de potencializar a absorção de mão de obra formada pelas escolas estaduais de educação profissional.

Os projetos serão planejados e executados pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Ceará (SDE), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Secitece) e Secretaria da Educação do Estado (Seduc).

Negócios