Ambulantes em Florianópolis somente podem vender cerveja de dona da Schin

By | 28/12/2015

O verão das cervejas nas praias de Florianópolis será de pouca variedade e menor concorrência. A prefeitura da capital catarinense fechou acordo de R$ 400 mil com a Brasil Kirin que determina que apenas suas marcas (Schin, Devassa e Eisenbah, por exemplo) poderão ser vendidas nas praias da cidade neste verão. Em troca, a Brasil Kirin poderá ainda fazer propaganda nas tendas e nas caixas de isopor de vendedores ambulantes que circulam pela praia (bares e restaurantes da orla ficam de fora).

Para Elizabete Fernandes, diretora do Procon em Florianópolis, a decisão é irregular porque tira o direito de escolha dos consumidores. Ela informou que nos próximos dias acionará o Ministério Público para investigar o caso.

O secretário de Serviços Públicos de Florianópolis, Eduardo Garcia, disse que a parceria "ajuda a custear" as despesas do município com a temporada e não fere o direito de escolha porque a Brasil Kirin venderá todas as suas marcas, não só a Schin. "Só aplicamos esta medida a quem está usando espaço público para trabalhar. Os donos de bares e restaurantes podem vender os produtos que quiserem", disse.

Segundo o secretário, a venda exclusiva inclui ainda refrigerantes, água e energéticos. O preço das cervejas não será tabelado entre os vendedores de praia. O acordo com a prefeitura foi firmado por licitação.

A decisão da prefeitura é questionada por veranistas. O industriário Roni Ribeiro, 34, de Sapiranga (RS), por exemplo, disse que as tendas e os ambulantes deveriam vender mais de um tipo de cerveja. "O turista fica sitiado", disse ele, que passa férias com a família. "É ruim quando a gente não tem opção. Parece que estão vendendo um espaço público", concorda o estudante Lúcio Tavares, 23.

Negócios