Alemanha arquiva investigação de espionagem dos EUA sobre Merkel

By | 12/06/2015

A Alemanha anunciou nesta sexta-feira (12) que arquivará a investigação sobre a suposta espionagem da Agência Nacional de Segurança americana (NSA) a um telefone celular da chanceler Angela Merkel.

A procuradoria federal de Karlsruhe (sudoeste) justifica o abandono da investigação alegando que a NSA não forneceu evidências suficientes que sustentassem medidas legais.

"As acusações não podem ser provadas legalmente no âmbito do direito penal", afirma um comunicado do promotor Harald Range. "Os comunicados vagos das autoridades americanas sobre a possível espionagem sobre as comunicações telefônicas da chanceler […] não são suficientes para descrever o que aconteceu."

A investigação teve início em junho de 2014, após as revelações pelo ex-técnico da NSA Edward Snowden de que as autoridades americanas teriam vigiado extensamente as comunicações de diversos cidadãos de outros países, incluindo chefes de Estado como Merkel e Dilma Rouseff.

O presidente americano Barack Obama excluiu na época futuras operações de espionagem contra Merkel, o que dava a entender que elas haviam de fato ocorrido no passado.

O escândalo abalou as relações dos EUA com a Alemanha e outros aliados. À época, Merkel havia "condenado categoricamente" a espionagem, dizendo ao governo americano que "entre amigos […] tal monitoramento das comunicações não pode ocorrer".

Passado o escândalo, a relação entre Merkel e Obama voltou a ser cordial e pragmática.

Snowden está asilado na Rússia para evitar acusações nos EUA como vazamento de informações confidenciais e roubo de propriedade do governo.

Internacional