Abelhas contribuem mais para economia britânica do que a família real

By | 21/06/2015
Abelhas-mel-colméia (Foto: Getty Images)

As abelhas contribuem mais para a economia britânica do que a família real. É o que mostra um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Reading e divulgado pelo site The Telegraph. Eles estimaram o valor que esses agentes polinizadores geram analisando quanto a venda de alimentos que dependem da polinização por abelhas contribui para a economia do Reino Unido.

Eles descobriram que as abelhas contribuem com £651 milhões (cerca de R$ 3,2 bilhões) por ano para economia. A família real leva £150 milhões par região através do turismo. A economia desses insetos crescer 191% desde 1996, quando sua contribuição era estimada em £220 milhões.

A pesquisa mostrou que 85% do cultivo de maçã do Reino Unido e 45% do cultivo de morangos depende de abelhas. Só essas duas frutas geraram £200 milhões em 2012.

O governo está atualmente considerando suspender uma proibição para o uso de pesticidas do tipo neonicotinóides. Os agricultores atualmente não podem usá-los, porque há o temor de que eles causem a morte de abelhas.

Mais de 360 mil pessoas assinaram uma petição para pedir ao ministro do Meio Ambiente que vete o pedido dos agricultores pela liberação do pesticida. Ao Telegraph, uma das criadoras da petição afirmou que a pesquisa só reforça que qualquer diminuição da população das abelhas afetaria a economia rural da região.

Outra descoberta dos pesquisadores é que apesar de apenas 2% das espécies de abelhas no Reino Unido serem responsáveis por 80% da polinização, mais esforços deveriam ser feitos para conservar os insetos por conta do aquecimento global. "As poucas espécies que atualmente polinizam nossas culturas provavelmente não serão as mesmas das quais precisaremos no futuro", afirmou em nota o professor Simon Potts.

Revista Época Negócios